Ilhabela, 18 de Outubro de 2017.
Câmara Municipal de Ilhabela - SP
CÂMARA
ATIVIDADE
LEGISLAÇÃO
CIDADE
SERVIÇOS
TV CÂMARA
Notícias da Câmara
14/06/2017

Câmara aprova parecer favorável do TCE referente exercício de 2012 do Executivo 

A Câmara de Ilhabela aprovou, durante a sessão Ordinária da última terça-feira (13/6), o parecer do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo referente ao exercício de 2012 da Prefeitura e o respectivo decreto legislativo com cinco votos favoráveis, três contrários e uma abstenção.

Após anulação do decreto legislativo que reprovou as contas na legislatura anterior, foi concedida vista do processo interno e a oportunidade de defesa por parte do ex-prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, que alegou através de processo administrativo protocolado na Câmara, não ter tido amplo direito a defesa em 2016.

O relatório do TCE-SP foi favorável às contas, porém recebeu parecer contrário da Comissão Permanente de Finanças e Orçamento da legislatura passada, com base nas ressalvas apontadas pelo órgão. Na mesma sessão, o advogado Marcelo Augusto Gonçalves e o ex-prefeito Colucci fizeram uso da palavra para aditar a defesa das contas e responder aos principais apontamentos do relatório da Comissão, como aplicação dos valores do excesso de arrecadação dos royalties e cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) sobre os cargos comissionados.

“Tivemos nosso direito a ampla defesa tolhido, no momento em que a Câmara vivia a turbulência das eleições. Alguns quiseram de alguma forma macular as nossas contas, tentando num processo acelerado, reprovar, no intuito de me tornar um político inelegível”, afirmou Colucci. O ex-prefeito destacou ainda que o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo é o maior tribunal do país e que reprova praticamente dois terços de todas as contas analisadas. “Nossa gestão teve, inclusive hoje, julgada e aprovada as contas de 2015. Já tivemos sete contas aprovadas de uma gestão de oito. Temos que nos orgulhar”, completou.

O vereador Thiago Santos, o Dr. Thiago (SD), que participou da legislatura anterior, votou contrário ao parecer do TCE mantendo sua posição do passado. “Eu esperava que a defesa apresentasse algo sobre o processo interno e o que vimos aqui foi a repetição da defesa do ano passado. Digo que não foi perseguição política, porque o maior dos julgamentos é o popular e esse julgamento reprovou a gestão dele”, declarou.

Da mesma opinião, o vereador Gabriel Rocha (SD) também registrou posição contrária. “Mais uma vez estamos assistindo aqui o assassinato da democracia. Estamos vendo o direito da Câmara que passou ser jogado no lixo”, disparou. Também votou contra o vereador Cleison Ataulo Gomes, o Cleison Guarubela (DEM).

Os vereadores que acompanharam o parecer favorável do Tribunal de Contas destacaram a importância de priorizar a decisão de um órgão técnico. “Minha votação sempre será de acordo com o Tribunal. O voto popular não é técnico, então por isso seguimos a decisão do TCE”, destacou o vereador Anísio Oliveira (DEM).

 

O vereador Marquinhos Guti (DEM) observou o fato das contas chegarem à Câmara em janeiro e serem votadas após as eleições de outubro. “Acredito que por ser ano político os interesses eram grandes. As contas apareceram para votação depois do resultado das eleições municipais e vai dizer que não teve julgamento político?”, questionou.

Reforçando a declaração dos pares, a vereadora Maria Salete Magalhães, a Salete Salvanimais (PSB), ainda salientou que os atos do Legislativo são sempre levados ao Tribunal de Contas. “Hoje tudo que fazemos sempre levamos ao conhecimento do TCE e seguimos suas orientações, então não me vejo em condições de ir contra uma decisão do Tribunal. Se as contas estivessem reprovadas, eu também acompanharia”, justificou.

O vereador Luiz Paladino de Araújo, o Luizinho da Ilha (PSB), enfatizou que a decisão de anular o decreto legislativo do ano anterior não descumpriu o regimento interno. “Não rasgamos o regimento interno e nem o voto popular como alguns afirmaram, pois se o que vale é o voto popular, a maioria venceu. Isso não é desrespeitar ninguém, mas é sim um ato transparente”.

O vereador Valdir Veríssimo (PPS) se absteve da votação.

 

A próxima sessão Ordinária será realizada no dia 27 de junho, às 18h, no plenário do Legislativo. As sessões da Câmara de Ilhabela podem ser acompanhadas ao vivo pelo site www.camarailhabela.sp.gov.br


Arquivos Anexos:



Câmara Municipal da Estância Balneária de Ilhabela
Av. Dona Germana, 85 - Centro - Ilhabela - SP - CEP 11630-000
Fone: 12-3896.9600